Notícias

Secretaria da Fazenda promove a 2ª Formação de Educadores Fiscais em São Paulo
 

A Secretaria da Fazenda realizou de 7 a 9 de dezembro o 2º curso de Formação de Educadores Fiscais. O evento no auditório do edifício sede contou com mais de 200 participantes - sendo 70% das regionais do Estado, o que possibilita ampliar as ações de educação fiscal e de cidadania também fora da Capital.

Participaram da cerimônia de abertura do curso, em 7/12, o coordenador da Tecnologia e Gestão Estratégica (CTG), Evandro Alpoim Freire, representando o secretário da Fazenda, Renato Villela; o diretor da Escola Fazendária do Estado de São Paulo (Fazesp), Fabio Augusto dos Santos; o vice-presidente da Febrafite, Lirando de Azevedo Jacundá; a coordenadora do Grupo de Educação Fiscal do Estado de São Paulo (GefeSP), Gabriela Maia Lubies de Sousa; e o presidente da Afresp, Rodrigo Keidel Spada.

Durante o evento, Spada entregou um cheque simbólico de R$ 5.000,00 para a supervisora de Ensino de Avaré, Adalta Aparecida Mariani, e a AFR aposentada e secretária de Desenvolvimento Social da cidade, Deira Alizia Visentin Villen, pela conquista do 2º lugar no Prêmio de Educação Fiscal da Febrafite, com o projeto “Conscientizar para Preservar o Mundo- lições de cidadania”.

Os trabalhos foram abertos pela professora Maria Garcia, livre-docente da PUC e procuradora aposentada do Estado de São Paulo, que falou sobre o papel do servidor público. “O Estado somos nós, funcionários públicos”. A professora Maria Garcia iniciou sua apresentação explanando sobre duas questões principais: “O que é a administração pública? É o Estado em ação, quando trabalha e realiza suas finalidades. E quais são suas finalidades? Promover as condições que permitam e estimulem o pleno desenvolvimento da personalidade humana. O Estado precisa fornecer meios para que as pessoas façam o que elas precisam. E é o funcionário público que realiza as políticas públicas”.

A última apresentação do dia foi “O programa de Educação Fiscal no Estado de São Paulo – atividades, metodologia de trabalho”, ministrada pela coordenadora do GefeSP, Gabriela Lubies. Ela falou um pouco sobre o histórico do Programa Nacional de Educação Fiscal (PNEF) mostrou como surgiu o grupo em São Paulo, enfatizando o seu objetivo: levar a educação fiscal para a sociedade e explicou como seria a metodologia de trabalho com os Educadores Fiscais Regionais. O GefeSP é formado pelas Secretarias da Fazenda e Educação, Receita Federal, CGU, PGFN e Escola Superior de Administração Fazendária (Esaf) e, segundo Gabriela, trabalha em todo o estado de São Paulo e procura, indiretamente, atuar nos demais estados do Brasil.

No dia 8/12 os participantes contaram com a palestra “Ferramentas de controle social”, ministrada por Márcio Aurélio Sobral, coordenador do núcleo de prevenção e apoio ao combate à corrupção da CGU-SP, que abordou os marcos legais que tratam da transparência pública e as ferramentas de ações sociais que permitem o controle do gasto público pelo cidadão.

Ainda em 8/12 a professora Andressa Maurício sobre Didática falou sobre oratória e técnicas de apresentação, com o objetivo é preparar os educadores fiscais para ministrarem aulas, palestras e também realizarem atendimento, trabalhando o tema educação fiscal com os públicos mais variados.

Em 9/12 as atividades foram conduzidas pela professora Andressa Maurício, que realizou uma série de exercícios práticos que servirão não apenas para as atividades de educação fiscal que os participantes venham a desempenhar, mas também para suas atribuições enquanto servidor público.

No período da tarde houve a participação do deputado estadual Orlando Bolçone, AFR aposentado, que defendeu a importância da educação fiscal para a promoção da cidadania e para melhorar a relação entre Estado e Sociedade.

No encerramento dos três dias de evento, o filósofo e professor Mário Sérgio Cortella ministrou a palestra “Ética, indivíduo e sociedade”. Além de trazer em sua exposição reflexões sobre a ética, Cortella também relacionou ao tema a importância da educação fiscal para a promoção e construção da cidadania.